quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Mulher com M de me respeita

Nenhuma mulher gosta de ser ignorada 
A não meu querido, você entendeu errado 
Ela quer atenção, quer ser admirada
Luta todo dia pra conquistar seu espaço 
Não importa o tipo 
Pequena, grande, gordinha ou magra
Alta, baixa, quieta ou despudorada
Fique atento, ela precisa ser amada
E quando ela se produz só pra deitar do seu lado
É bom ficar ligado: ela quer ser abraçada
Para com essa bobeira machista, meu amor 
Ela batalha todo dia, em casa ou no trabalho, porque PODE e QUER crescer 
Mas não sem você do lado 
E nem vem com esse papo que mulher determinada assusta 
"Seja feminina, seja delicada, seja assim, seja assado..." 
UMA OVA!
Seja você mesma, se assustou, era o cara errado
Pára de mimimi, ela tá aí do seu lado 
Acorde e dê uma boa olhada, ela merece ser um pouco mais valorizada
Parceira, inteira,pronta pra qualquer parada
Na cama, na penteadeira ou no varal
Na carreira, na mesa e no chão
No bar, na igreja e onde bem entender
Para com esse julgamento bobo
E nem tenta fazer ela se sentir culpada
Mesmo nesse mundo machista 
A mulherada - casadas, solteiras, mães, filhas e divorciadas - 
Está cada dia mais empoderada! 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Fragmentos

Eu sei, já passou há muito tempo, mas volta e meia acontece alguma coisa que me faz lembrar e antes que eu perceba as lágrimas já caíram. Alguns traumas parecem tão enraizados que por mais que esqueçamos, volta e meia, ressurgem, mostrando que muitas das suas feridas ainda não cicatrizaram. 

"Eu preferia ter levado mil e uma surras da minha própria mãe do que ter ficado longe dela. Surra de mãe nem dói!"

Toda a minha revolta e repúdio ao machismo, sempre! Cada vez que você menospreza uma mulher, critica suas escolhas para que ela se sinta culpada, você perde um ponto com a sua própria macheza. Seja homem de verdade e valorize a mulher que tem ao seu lado. Se ela trabalha fora é pra te ajudar, é pela sua família. Se ela se atrasa é porque teve seus contratempos. Compare com você, quantas vezes você se atrasou ou não pode estar presente?! Porque vocês são diferentes nisso se ela também está lutando por vocês?! Esse mundo machista não merece as mulheres batalhadoras que tem! 

"Aposto que se eu fosse homem estaria tudo bem! Isso não me parece nada justo!"

Trate as urgências dos outros com a mesma pressa e exigência que trata as suas. Juro, quando precisam de alguma coisa é sempre pra ontem, mas aí na hora de pagar que se dane né?! Acabou a pressa... ¬¬

"É urgente pra mim também!"

Não sei viver no silêncio. Sou péssima com essas coisas de solidão. Sentir só é de uma dor tremenda.

"Fale comigo, por favor"

Eu sei boa parte dos planos deram errado. Parece que deu tudo certo, mas a verdade é que na verdade não. Sinto muito. Quero acreditar que fiz o melhor possível, mas acho que estive enganada uma vida inteira. Mentindo pra mim. Pedindo um socorro mudo. Ninguém ouviu, não estão ouvindo agora. Tá tudo bem, mas no geral, deu tudo errado, salva pelo João, querendo muito ser salva de mim... 

"Como foi que eu cheguei nesse ponto?!"

Vão dizer que eu tô fazendo drama. Que reclamo de barriga cheia. Pode ser, mas no fundo você não sabe nada sobre os outros.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Aquelas conversas na cozinha

Por mais que você fuja, um dia seus traumas vão bater inesperadamente na sua porta e pedir um abraço e uma solução. Ah eu sei, eles vão ficar te esperando no portão numa dessas tardes frias de Junho e implorar pra entrar. E eles entrarão. Você irá acolhe-los com seu melhor sorriso, oferecer café e cobertor e na hora do jantar vocês chorarão juntos na mesa da cozinha, ainda tentando fugir dessa conversa abafada há tantos anos. 
Tudo acontecerá muito rápido. Vocês estarão falando animadamente sobre algumas lembranças do passado e sem querer vão esbarrar naquela ferida que nunca cicatrizou, mas que também já não incomoda. De repente, aqueles olhos que você tanto ama estarão cheios d'água e aquele rosto envelhecido e preocupado transbordará uma séria de pedidos de perdão. Sua vontade será de gritar, correr e abraçá-lo imediatamente, dizer que não há nada para ser perdoado, que não quis magoá-lo e que está tudo bem, dar colo pra quem sempre foi colo, mas você não fará nada disso. Adultos, como somos mesquinhos de sentimentos. 
Eu apenas o olhei com ternura e pedi que parasse, que tudo já tinha se resolvido e que não queria que a conversa fosse para esse lado. Essa frieza, adquirida com os anos, custou caro, mas às vezes é necessária para que todos possam seguir em frente. Mudamos de assunto e agimos mais uma vez como se aquele momento e aquele passado nunca tivessem ocorrido. Mais tarde fiquei repassando a cena no chuveiro. Não há mais nada a ser perdoado, o que falta mesmo é superar. 

terça-feira, 21 de junho de 2016

29 resoluções de aniversário

1 - De agora em diante prometo cuidar mais de mim. Incluindo dieta balanceada, algum exercício fisíco e cremes antissinais para a pele, haha ( sim, eu estou ficando velha mesmo)
2 - Já passou da hora de aprender a cozinhar pra valer. Eu queria já saber fazer pão, por exemplo
3 - No mínimo, ler um livro à cada dois meses
4 - Voltar a estudar. Inglês pra começar e depois uma pós, mestrado, etc.
5 - Voltar a escrever, qualquer coisa, pra exercitar mesmo
6 - Não tem pressa, mas ainda vou aprender a tocar bateria
7 - Visitar meus amigos pelo menos uma vez por mês e estar mais próxima da família
8 - Viajar pra outro país, assim que possível
9 - Falar menos palavrão (especialmente perto do João Guilherme)
10- Manter a calma
11 - Parar de roer as unhas e soltar mais o cabelo
12 - Ser mais gentil e feminina ( Desculpem, eu sou grossa e me comporto como um menino às vezes, não vejo problemas nisso, mas de fato um pouco mais de gentileza e feminilidade não me fará mal)
13 - Tomar aquele porre prometido
14 - Refazer uma playlist para ouvir no carro
15 - Organizar álbuns de fotografias. O João vai gostar disso
16 - Agradecer mais por todas as coisas
17 - Ir mais a igreja
18 - Ser mais organizada com meus horários
19 - Doar. Roupas, brinquedos, calçados, sangue... Praticar o voluntariado pra valer
20 - Voltar a fazer terapia e resolver de uma vez aqueles velhos traumas
21 - Organizar as finanças =/
22 - Ir a algum lugar diferente sempre que possível
23 - Experimentar alguma comida ou bebida diferente sempre que possível
24 - Relaxar mais 
25 - Ter um cachorro
26 - Plantar uma horta e aprender a cuidar das minhas flores
27 - Aprender a costurar
28 - Levar a vida mais de boas, ficar em paz...
29 - Aproveitar cada minuto ao lado do João e do Alison e simplesmente ser feliz!



sábado, 2 de abril de 2016

Pérolas da Maternagem

Algumas das últimas publicações eram rascunhos que estavam parados aqui desde sei lá quando e essa postagem também ficou parada no tempo. Eu tenho vontade de escrever, mas aí já não tenho mais, eu tenho alguns instantes, mas logo não tenho mais. Desde que o João chegou a vida tem sido muito mais corrida e complicada em alguns pontos, mas extremamente melhor. Se você está pensando em ter filhos e quiser um conselho saiba que não é nada fácil. Parece muito lindo, e é, mas também é realmente difícil. O amor é imenso, a vida finalmente ganha sentido, mas não é só riso e felicidade, bem pelo contrário. É pra fortes!
Como hoje de manhã. Me aprontei para sair, coloquei a última calça jeans limpa do armário e imediatamente olhei para aquele cesto de roupas sujas transbordando no canto do quarto - "...puxa, eu tenho que lavar roupas hoje sem falta!" - Deixei para arrumar o João depois da papinha da manhã para não correr o risco de sujar a roupa dele. Aí que ele já estava com sono na hora de comer e por isso já estava irritado e mesmo com todas as músicas, micagens e caretas ele não quis comer. Mas isso não é nada, porque pra dizer que realmente não queria comer ele fez a maior guerra comigo, com direito a passar banana na roupa dele, no cabelo, na cadeira e em mim, na minha última calça jeans limpa. Agora pouco, já no meu trabalho, encontrei um resquício de banana no meu cabelo e - sim! - minha calça está suja e ficará assim até amanhã. Seria engraçado se não fosse meio trágico. Oras que se dane, é engraçado sim!
Mas enfim, nisso de ser forte e ser mãe, às vezes você vai sentir que o peso do mundo está nas suas costas e por mais que você tenha um lindo marido e pai do seu filho ao lado, ainda assim o peso é seu, carregue-o e só. Falando nisso, é importante dizer que maternidade é algo bem solitário às vezes, mesmo que essa não seja sua realidade. Boa sorte!

P.S: isso não é uma reclamação.
P.S I: nem por um segundo eu abriria mão de ter banana no meu cabelo e uma calça suja! Nem nas piores noites, nem nos dias de febre e tosse, nem por nada no mundo inteiro eu me arrependeria de ser mãe! 

segunda-feira, 28 de março de 2016

Adultos! De verdade...

Às vezes a gente se pega olhando pra trás e reencontra tantos sonhos, tantas pessoas e percebe o quanto cada momento, cada detalhe, cada aprendizado ou idiotice, foi importante e essencial para que chegássemos onde estamos. 
Um dia um menino não aceitou meu depoimento no orkut e me explicou num e-mail o quanto eu fui metida. Na época, lembro, fiquei muito ofendida, mas a verdade é que - sim! - eu fui extramente arrogante, egoísta e escrota diversas vezes na minha juventude agora tão distante. Estou sorrindo enquanto escrevo isso, eu não fazia por mal, eu nem sabia o quão horrível eu era e sinto muito pela minha ignorância sobre meus próprios atos. O pior é que se alguém me falasse tudo isso eu não acreditava, "oras, eu não podia ser tão ruim assim", hahahaha, mas era! 
Fora isso, eu era uma sonhadora, acho que até bem mais positiva do que hoje e eu conseguia transmitir isso para os outros. Claro, ainda acredito na humanidade, ainda me considero uma pessoa de bem e do bem e eu ainda tenho muitos sonhos, mas a verdade é que há uma grande possibilidade de eu ter perdido muito daquela mania adolescente de romancear tudo e qualquer coisa. Responda rápido: você ainda olha as estrelas, se encanta com o luar, liga de madrugada, abraça inclinado, manda emails sem sentido, compartilha músicas cheias de significado, namora no carro?
A paixão muda quando a gente adultece. Em muitos casos ela vira amor. Mas o amor é diferente. Ele é calmo, seguro de si e do outro e talvez até um pouco monótono. Mas o fato é que ele está lá todas as noites na hora de dormir e no bom dia ao acordar. Não dá pra viver apaixonado pra sempre. Mas amar dá!
As paixões são lindas, algumas tem muita cara de amor e essas são verdadeiramente bonitas e sinceras, mas elas passam - às vezes como um furacão - e destroçam a gente levando um pedaço grande dos nossos corações. De qualquer forma, são elas que deixam uma saudade boa e que demonstram o quanto a vida vale a pena. Da forma que for. 
Então, um dia, quando a gente é adulto de verdade, dá uma folheada rápida no passado só pra sentir aquele gostinho de ter, ainda, um restinho de criança dentro de si.




P.S: me casei com uma dessas paixões sinceras da juventude, que não passou feito um furacão e virou amor num reencontro depois de 10 anos.
P.S I: tive amigos apaixonantes na minha vida. Duas em especial, eram meio irmãs, meio cúmplices e sinto muito a falta delas, mas óbvio que a vida é diferente agora.
P.S II: meus vinte e poucos anos foram uma grande aventura. Valeram a pena! E no final, acho que deu tudo certo. Tenho que agradecer e me desculpar com muita gente, mas ninguém pode reescrever o passado.
P.S III: acredito mesmo que tudo aconteceu como tinha que acontecer e que estamos exatamente onde deveríamos estar. Sou adulta agora, de verdade.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Último capítulo

No final, entre mortos e feridos, todos encontraram seus pares e viveram felizes para sempre. E você que pensava que isso era coisa de novela. Na realidade tivemos todos os ingredientes de um bom romance. Não faltou nada. Teve divórcio, recomeço, casamento, reencontro e até gravidez na história.

A verdade sobre o medo materno

É claro que eu estou com medo. Mentira das mulheres que dizem que não estão preocupadas com o nascimento do filho. Claro que estão! Eu mesma digo às vezes que vai dar tudo certo, que está tudo bem e passo muito confiança a quem quer que se importe comigo... Mas a verdade é que eu estou mentindo, porque estou morrendo de medo de um milhão de possibilidades diferentes que podem ocorrer desse instante, passando pelo parto e os primeiros meses, até o resto da vida dele.